Perguntas frequentes

Todas as respostas as suas perguntas.

O linfoma anaplásico associado a células grandes (BIA-ALCL) é um câncer do sistema imunológico. Na maioria dos casos, o BIA-ALCL é encontrado no tecido e no líquido cicatricial próximo ao implante. O risco de um indivíduo desenvolver o BIA-ALCL é considerado estar baixo.

Os principais sintomas do BIA-ALCL são inchaço persistente, presença de uma massa ou dor na área do implante mamário. Às vezes, apenas uma efusão de líquido abundante ao redor do implante pode constituir um sinal de alerta. O caráter recorrente após a punção desse derrame líquido pode evocar esta doença. Se você tiver algum destes sintomas ou outras alterações, entre em contato com o seu cirurgião para avaliação adicional.

Na maioria dos pacientes, é tratado com sucesso com cirurgia para remover o implante e o tecido cicatricial circundante. Esta doença parece ser induzida pela inflamação criada pela superfície dos implantes. Certos tipos de texturas foram recentemente banidos por alguns países porque representariam um risco maior de desenvolver BIA-ALCL, sem que se soubesse exatamente a origem exata da patologia. Desde que o primeiro aviso foi lançado pela FDA (Food and Drug Administration) em 2016 sobre uma possível associação entre algumas superfícies de implantes mamários e o início da BIA-ALCL, a SEBBIN decidiu lançar, em colaboração com dois laboratórios, uma tese de doutorado sobre a biocompatibilidade das texturas, que agora está concluída. Os resultados desta tese possibilitaram estabelecer uma nova classificação de texturas, destinado a evitar confusões em torno da palavra “texturizado “((“Surface texturation of breast implant impacts extracellular matrix and inflammatory gene expression in asymptomatic capsule. Plastic and reconstructive surgery”, Brigaud I, Garabedian C, Bricout N, Pieuchot L, Ponche A, Deltombe R, et al. Dec 23, 2019.)). O linfoma anaplásico de grandes células (BIA-ALCL) permanece muito raro, no entanto, constitui um risco sobre o qual as mulheres candidatas ao implante mamário devem ser informadas.

Deseja ingressar uma empresa francesa internacional em crescimento em escala humana, dentro de uma equipe que valoriza cada indivíduo? Consulte nossa página Recrutamento, solicite nossas ofertas de emprego no LinkedIn ou envie-nos sua inscrição espontânea em service-rh@sebbin.com.

Na vanguarda da inovação e das tecnologias cirúrgicas, ajudamos os cirurgiões a treinar com a Sebbin University, através de cirurgias ao vivo ou workshop que realizamos em todo o mundo. Essas intervenções estão relacionadas a várias especialidades da cirurgia plástica, desde aumento de mama composite até reconstrução de implantes, incluindo lipofilling facial ou cirurgia de aumento glútea (implanes glúteos).
A Sebbin University, verdadeiro centro de treinamento, também é um espaço de discussão e convívio, reunindo profissionais de saúde parceiros do Groupe Sebbin.

Entre em contato conosco no seguinte endereço de e-mail: contact@sebbin.com
Tomaremos nota da sua solicitação e responderemos o mais breve possível, direcionando-o para a pessoa apropriada, dependendo da sua área geográfica.

O Groupe Sebbin está presente em todo o mundo. Sua sede está localizada em França, em Boissy l’Aillerie, no departamento de Val d’Oise. O Grupo Sebbin possui subsidiárias em vários países europeus: Reino Unido, Espanha, Bélgica e Suíça, Alemanha e Áustria.

Sua rede de distribuição abrange várias áreas geográficas em vários continentes: Europa, Oriente Médio, Ásia-Pacífico, América Latina, o que dá à Sebbin uma presença em mais de 60 países do mundo .

A síndrome auto-imune induzida por adjuvantes (ASIA) ou “Autoimmune Syndrome Induced by Adjuvants” em inglês, é caracterizada, em suas formas mais graves, pelo desenvolvimento de doenças auto-imunes, como doenças de pele (esclerodermia, lúpus) ou dor óssea e muscular (fibromialgia, artrite reumatóide).

Em um relatório publicado em 1998, um júri científico americano (US National Science Panel) avaliou à relação entre os implantes mamários em relação com potenciais distúrbios do tecido conjuntivo e disfunções imunológicas. Não foi estabelecida relação entre implantes mamários pré-cheios de gel de silicone e qualquer um dos distúrbios especificados do tecido conjuntivo ou qualquer outra doença auto-imune / reumática. Foi estabelecido que mulheres com implantes mamários de silicone não apresentavam anomalias do sistema imunológico que poderiam ser atribuídas ao silicone. Em 1999, um relatório independente apresentado por um comitê do Instituto de Medicina dos Estados Unidos indicou que distúrbios do tecido conjuntivo, câncer, doenças neurológicas e outras doenças sistêmicas não são mais comuns em mulheres com implantes mamários do que em mulheres sem.

Alguns estudos recentes, especialmente os de Colaris et al., publicados em julho de 2016 na revista “Immunologic Research”, sugerem a existência de um risco de “síndrome auto-imune / inflamatória induzida pelos adjuvantes” (ASIA) , que pode ser causada por incompatibilidade com silicone, com os seguintes possíveis sintomas principais: febre, dores musculares e articulares, fadiga crônica, manifestações neurológicas e deterioração das faculdades cognitivas. No entanto, os autores afirmam que faltam dados experimentais e epidemiológicos para confirmar a existência desse risco. Por prudência, a implantação não é recomendada em pacientes com antecedentes pessoais ou familiares de tais patologias.

A formação de uma cápsula ao redor de um implante mamário é uma reação natural do seu corpo.

Após um corte, o seu corpo protege você, curando e criando uma crosta que formara uma nova pele. É a mesma coisa com um implante. Quando um corpo estranho é colocado no corpo, o nosso sistema imunológico tenta isolá-lo criando uma cápsula de tecido fibroso. A formação desta cápsula geralmente ocorre nos primeiros meses após a operação. A formação de uma capsula depende de elementos variáveis incluindo a operação cirúrgica y da reação do corpo próprio a cada paciente.

Esse tecido fibroso pode se contrair e às vezes resultar em um endurecimento da cápsula, endurecendo e deformando a mama.Isso é chamado de “contratura capsular”. Isso é chamado “contratura capsular”. Isso pode ocorrer num lado (um seio) ou nos dois lados (ambos seios). Na maioria dos casos, a contratura capsular é menor.

As contraturas capsulares foram classificadas em quatro graus pelo Dr. Baker:
– Grau I corresponde à cápsula natural formada em torno de um corpo estranho, sem nenhum efeito negativo (a mama é macia).
– Grau II corresponde ao momento em que a cápsula é mais firme e perceptível. Alguns pacientes gostam desse desenvolvimento, pois os seus seios se sentem mais firmes.
– Grau III pode ter um impacto estético, pois a cápsula é visível sob a pele e os implantes começam a se deformar. Uma reoperação pode ser necessária na maioria dos casos. O seu cirurgião fará os exames necessários para saber se é necessario operar novamente no seu caso pessoal.
– Grau IV pode causar dores. A contratura capsular e a deformação são mais fortes.

Os sintomas da contratura capsular incluem : endurecimento da(s) mama(s), um implante mamario deformado e/ou aparentando ser colocado mais alto na caixa torácica, ondulações da pele, dores na(s) mama(s).

Se você tiver um ou mais desses sintoma, entre em contato com o seu cirurgião. Ele fará os exames necessarios e poderá aconselhá-la.

Se você sentir algum desconforto em particular, tiver sintomas incomuns ou tiver dúvidas sobre o implante, entre em contato com o seu cirurgião. Ele poderá responder às suas perguntas e direcioná-lo para os recursos apropriados.

Um implante mamário nunca é posicionado definitivamente; como qualquer biomaterial, envelhece, se desgasta e sua vida útil não é conhecida com exatidão. Depende das atividades do indivíduo, bem como da reação do seu corpo em relação ao implante. É geralmente aconselhável consultar seu cirurgião a cada 12 a 18 meses para acompanhamento e trocar o implante 10 anos após a primeira operação.

Em geral, não há contra-indicação para a amamentação após a cirujia de mama, independentemente do tipo de dispositivo; no entanto, pode ser comprometido caso, durante a intervenção, os dutos de leite sejam cortados. Um abscesso mamário, se ocorrer durante a amamentação, pode exigir a remoção do implante. Um estudo realizado por Semple et al., usando o silício (muito abundante na natureza e do qual o silicone é derivado) como unidade de medida, descobriu que a quantidade encontrada no leite de mulheres com implantes é idêntica à quantidade encontrada em o de mulheres sem implante.

Para serenidade dos pacientes, o Groupe Sebbin oferece um programa de garantia de longo prazo, cobrindo toda a sua gama de implantes mamários preenchidos com gel de silicone. Encontre mais informações em nossa página Garantia.

A reconstrução mamária pode ser realizada ao mesmo tempo que a mastectomia, isso é chamado reconstrução imediata. A duração da intervenção é maior que a reconstrução adiada, mas permite que você, ao acordar, tenha a sua mama reconstruida, mesmo que ela só tenha a sua forma final após vários meses. Se a reconstrução ocorrer em uma segunda fase operatória (após a mastectomia), falamos de reconstrução diferida. Isso exigirá uma segunda intervenção e exigirá que você aguente por um período maior ou menor a ausência de um seio.

Seu cirurgião o convidará para uma visita de acompanhamento após a cirurgia. Durante o primeiro ano, recomenda-se uma consulta aos 3, 6 e 12 meses e depois todos os anos. Seu cirurgião aconselhará os exames apropriadaos para verificar que tudo esteja bem como por exemplo uma ressonância magnética (ressonância magnética) ou uma ecografia.

Após a operação, um curativo de compressão impedirá o movimento das próteses. Assim que você sair do bloco e por aproximadamente 1 mês, seu cirurgião o aconselhará usar um sutiã de suporte dia e noite. Alguma dor pode ser sentida nos dias seguintes, porque os seios permanecem inchados e podem puxar o músculo peitoral. Evite movimentos largos dos braços por pelo menos 3 dias, evite conduzirnas primeiras 2 semanas e carregar cargas pesadas. O esporte deve ser excluído por 4 a 6 semanas, no mínimo. Sem exposição ao sol por um mês para uma boa cura! E, claro, sem dormir de bruços …

A recuperação ocorre em 1 a 2 horas na sala de recuperação. A equipe de anestesia garante que o despertar ocorra nas melhores condições. A operação pode, em alguns casos, ser ambulatorial (o paciente chega de manhã e sai no final do dia); caso contrário, pode exigir 1 a 2 dias de internação. É seguido por um período de descanso de 5 a 10 dias.

Na cirurgia estética, o implante é inserido sob a glândula (posição retroglandular) ou sob o músculo peitoral maior (posição retropectoral). A incisão é feita na aréola, na cavidade da axila ou no sulco localizado sob a mama. As cicatrizes serão escondidas ao redor do perímetro da aréola. Na maioria dos casos de aumento de mama, a intervenção é curta. É realizado na sala de cirurgia, sob anestesia geral. Durante uma cirujia de reconstrução, o cirurgião usa a cicatriz deixada pela mastectomia para inserir o implante. Às vezes, a intervenção pode demorar mais.

Para operar serenamente, o cirurgião e o anestesiologista precisarão conhecer seu histórico médico. Seu cirurgião recomendará a abordagem de inserção (submamária, peri-areolar ou axilar) e o posicionamento do implante (sob a glândula mamária ou sob o músculo peitoral) de acordo com sua morfologia e, como em qualquer intervenção, ele / ela informará o “consentimento informado” clássico que você precisará aprovar e assinar.

Um implante, mesmo perfeitamente tolerado, pode ser perceptível, visível ou detectável como um todo; pode ser possível palpar sua borda periférica. A percepção de um dispositivo varia de acordo com seu posicionamento, seu conteúdo e a espessura da glândula e tecidos mamários. Em geral, a visibilidade é menor em caso de implantação por trás do músculo. Na cirurgia reconstrutiva após uma mamectomia, o implante é sempre palpável, independentemente da sua localização, devido à ausência de glândula mamária.

A colocação dos implantes mamários deve ser realizada por um cirurgião competente registrado no Conselho Nacional da Ordem dos Médicos. Um cirurgião plástico é cirurgião qualificado em cirurgia plástica, reconstrutiva e estética. Você pode consultar associações internacionais de cirurgiões como o ISAPS, EURAPS, FILACP, EASAPS.
Não hesite em consultar diferentes cirurgiões, porque uma relação de confiança deve existir absolutamente entre o paciente e seu cirurgião.

Varia de acordo com vários elementos: o país em que vive, o tipo de implante, o local da intervenção (clínica ou hospital), a duração da hospitalização, os honorários do cirurgião e do anestesiologista. Após uma mamectomia, os cuidados podem ser assumidos pelo seguro de saúde que se aplica ao seu país. No contexto de uma intervenção puramente estética, o custo é totalmente de responsabilidade do paciente.

Quando o implante é colocado entre a glândula mamária e o músculo peitoral, o curso pós-operatório não é muito doloroso. Você só pode sentir uma tensão nos seios por alguns dias. Quando o dispositivo é posicionado atrás do músculo peitoral, os acompanhamentos cirúrgicos geralmente são mais dolorosos e podem exigir analgésicos por alguns dias. O grau de dor também está diretamente relacionado a fatores individuais, como, entre outros, a adequação entre o volume do implante escolhido e a elasticidade da pele.

Sebbin oferece uma ampla gama de implantes de silicone com diferentes formas, texturas e géis mais ou menos coesivos, para atender aos desejos e necessidades de todos. Seu cirurgião pode ajudá-lo a escolher o modelo que mais lhe convém, fazendo medições precisas e fotos do seu peito. Graças a um instrumento de simulação online, você poderá simular a avaliação final em realidade aumentada. O seu cirurgião também pode sugerir que você compare os diferentes modelos de Sebbin, colocando medidores no sutiã, para comparar as diferentes projeções possíveis.

O silicone vem do silício, encontrado, entre outras coisas, na areia. O silício se torna silicone quando é combinado com oxigênio, carbono e hidrogênio. É assim que podemos encontrar silicone na forma de gel, óleo ou goma, dependendo das combinações de cada elemento químico que o compõe. O silicone é um material inerte usado desde 1946 na área médica. É utilizado na fabricação de lentes intra-oculares, marca-passos e, é claro, na fabricação de implantes mamários desde 1963. Sua principal qualidade é que não causa uma reação significativa do organismo. Suas qualidades mecânicas conferem grande resistência aos choques.

Um implante é constituído dum envoltório flexível de elastômero de silicone que dá forma à prótese e faz interface com o corpo. Esse envoltório fechado por um disco de oclusão (também feito de silicone) pode ser vendido vazio para ser preenchido pelo cirurgião com soro fisiológico durante a operação (implante chamado “inflável”), ou vendido preenchido com gel de silicone coesivo.

A Sebbin oferece uma ampla e exigente gama de dispositivos médicos de série ou personalizados:
– Implantes para o corpo (mama, glúteo, testicular, panturrilha, torácica)
– Implantes para o rosto (queixo e malar)
– Expansores de pele
– Lipofilling e matrizes acelulares

¿No encontró una respuesta a la pregunta que le interesa? Si desea contactarnos directamente, háganos saber sus necesidades completando nuestro Formulario de contacto. Le responderemos lo antes posible.